“Gênero, idade e formação não são o mais importante para mim”

Conheça Lucie Drabkova, gerente da unidade de produção na República Tcheca, para saber mais sobre suas reflexões a respeito de diversidade, equidade e inclusão na Chr. Hansen

Lucie Drabkova, gerente da unidade de produção na República Tcheca

Uma equipe diversa traz mais ideias para a mesa e, por fim, melhores soluções e resultados. Pelo menos de acordo com Lucie Drabkova, que faz parte da Chr. Hansen há 15 anos, e atualmente é gerente da nossa unidade de produção de produtos de saúde animal na República Tcheca. Lucie é uma das seis mulheres gerentes de unidades de produção em Operações Globais na Chr. Hansen – há três anos, havia apenas uma.

Alguns argumentariam que um ambiente de produção técnica é um universo tipicamente masculino. Mas Lucie discorda:

“Gênero, idade e formação não são o mais importante para mim. Para mim, o que importa é que as pessoas da minha equipe queiram aprender e encontrar as soluções para cada desafio. Acho que uma equipe diversa em termos de gênero, idade e formação traz mais ideias para a mesa e mais discussões que, no final, levam a melhores soluções e resultados. Claro que isso pode gerar desentendimentos e questões, mas o resultado é sempre melhor”, ressalta.

 

“Uma equipe diversa em termos de gênero, idade e formação traz mais ideias para a mesa e mais discussões que, no final, levam a melhores soluções e resultados.”

Lucie Drabkova, gerente da unidade de produção na República Tcheca

 

Lucie não teve problemas como gerente em um ambiente com muitos homens.

“Trata-se de se fazer ouvir e não ter medo de fazer perguntas ou pedir ajuda quando necessário. Não pense que você pode lidar com tudo sozinha. Quando comecei na empresa, colaborei com um colega mais velho e ele me ajudou muito. Ainda sigo seu conselho de que todos os problemas têm soluções, só precisamos querer encontrá-las.”

Trabalhando para a Chr. Hansen, ela sempre sentiu que as pessoas eram muito solidárias em geral:

“Nunca vi nada assim em outros locais de trabalho. Os colegas simplesmente gostam de ajudar! Temos uma inacreditável quantidade de confiança e autonomia na Chr. Hansen. Você pode discutir as coisas abertamente e até pedir ajuda à alta administração. É uma situação absolutamente única, e é uma cultura que atrai mulheres e homens.”

 

Quais são suas reflexões sobre diversidade, equidade e inclusão, e como a Chr. Hansen está se saindo nesse campo?
“Precisamos lutar por um mundo livre de preconceitos, estereótipos e discriminação. Na minha opinião, temos práticas justas de contratação e uma cultura acolhedora na Chr. Hansen, independente da formação, idade etc. Temos a sorte de trabalhar com muitas nacionalidades e aprender sobre diferentes culturas. Na Chr. Hansen da República Tcheca, somos quase o mesmo número de homens e mulheres em cargos gerenciais e em geral entre os funcionários.” 


Qual é a mensagem mais importante que você deseja enviar às jovens mulheres que pensam sobre suas carreiras?
“Confie em você! Jovens são inexperientes e muitas vezes questionam suas próprias competências e desempenho, e se dividem entre as exigências domésticas e profissionais. Não pense duas vezes: opte pelo que deseja alcançar e não tenha medo de aceitar ajuda dos colegas. E lembre-se de se divertir ao longo do caminho!”


Diversidade, Equidade e Inclusão – uma área de foco para a Chr. Hansen

Devemos enfrentar o desafio de aumentar a conscientização contra o preconceito todos os dias para forjar a igualdade das mulheres e lutar por um mundo diverso, equitativo e inclusivo.

“As coisas não surgem do nada. Se quisermos construir e manter uma sólida base de funcionários, temos a obrigação de garantir que somos imparciais e abertos em nossos esforços de recrutamento, promoções, desenvolvimento e retenção”, afirma Alice Larsen, vice-presidente corporativa de Recursos Humanos.

 

“O mais importante é que nós contamos com uma força de trabalho diversa para trazer ciência inovadora e desenvolver novos produtos sustentáveis para nossos clientes.”

Alice Larsen, vice-presidente corporativa de Recursos Humanos

 

“Em nossos processos de recrutamento, insistimos em encontrar um conjunto diverso de candidatos com diferentes formações, gênero, idade, nacionalidades etc. Internamente, nosso canal de sucessão para cargos de alto nível está próximo do equilíbrio de gênero. Isso é resultado de um esforço focado em que diversidade e inclusão são prioridade na agenda durante os processos de revisão organizacionais, promoções e mudanças organizacionais.

O mais importante é que nós contamos com uma força de trabalho diversa para trazer ciência inovadora e desenvolver novos produtos sustentáveis para nossos clientes. Inclusão e diversidade são simplesmente fundamentais para a realização das ambições estratégicas da Chr. Hansen e, portanto, estabelecemos seis metas específicas de diversidade para 2025”, conclui Alice.

Leia mais sobre isso no relatório anual de 2020/21 nas páginas 26-27.

 

Compartilhe