捂着胃的孕妇

Estudo demonstra que probióticos podem ajudar gestantes em relação à colonização pelo EGB

O estudo investigou o efeito do Lactobacillus rhamnosus (GR-1®) e do Lactobacillus reuteri (RC-14®) em gestantes com colonização por Estreptococo do Grupo B (EGB).

Por que o EGB deve ser evitado?

A colonização por EGB é um fenômeno comum 1 em gestantes e pode causar uma infecção intrauterina ascendente. No nascimento, o EGB pode ser transmitido ao bebê, causando infecções graves, como, por exemplo, sepse, pneumonia e meningite. Portanto, antibióticos são recomendados para este grupo-alvo específico. 

Efeito estatisticamente significativo

O estudo randomizado, duplo cego, controlado por placebo de Ho et al. em 20162 demonstrou que a combinação das duas cepas Lactobacillus rhamnosus (GR-1®) e Lactobacillus reuteri (RC-14®) - também conhecidas como Urex - resultou em um aumento estatisticamente significativo no número de gestantes sem colonização por EGB no momento do parto. No total, 110 gestantes diagnosticadas com EGB participaram do estudo, tomando os probióticos a partir das semanas 35-37 até o parto.

Gráfico do estudo sobre EGB

  Fig. 1: Mulheres sem colonização por EGB no momento do parto.

Boa notícia para as mães e os bebês

Os novos dados clínicos são uma boa notícia para gestantes positivas para EGB e interessadas em ingredientes naturais para auxiliar o bem-estar urogenital. Potencialmente, Lactobacillus rhamnosus (GR-1® ) e Lactobacillus reuteri (RC-14®) podem ajudar a reduzir a necessidade de tratamento antibiótico durante o parto e a reduzir o risco de transmissão do EGB - dando ao bebê um melhor início de vida.

Mais informações

Clique aqui para ler a publicação.

 

Referências

1 Verani et al. 2010, MMWR Recomm Rep. 59(RR-10):1-36.
2 Ho et al. 2016, Taiwanese J Obst Gynocol 55(4):515-518.

Compartilhe