Nós utilizamos cookies para otimizar o website. Se você continuar navegando no site ou se fechar esta janela, você aceita nossa política de cookies

Imprimir Compartilhe

A Chr. Hansen alcança outro marco importante em seus planos de inovação

A Chr. Hansen alcança outro marco importante em seus planos de inovação
Comunicado de imprensaMay 15. 2018 09:57 GMT

Ensaio clínico demonstra que cepa probiótica fortalece a defesa contra danos ao intestino causados pelo uso regular de analgésicos domésticos

A Chr. Hansen concluiu um ensaio clínico1 no qual utilizou uma cepa probiótica cuidadosamente selecionada. Ao alcançar os desfechos primário e secundário do ensaio, os resultados demonstraram um sólido efeito protetor contra os efeitos colaterais gastrointestinais (GI), causados pelo ácido acetilsalicílico (AAS).

"O ensaio clínico identificou que os participantes que ingeriam o probiótico tiveram uma defesa importante contra danos GI causados por um analgésico doméstico amplamente utilizado, em comparação com aqueles que receberam o placebo. Isso indica um claro efeito protetor da cepa – em relação à redução do dano intestinal e ao número de úlceras causadas", explica Johan van Hylckama Vlieg, Vice-presidente de microbioma e inovação em saúde humana.

O ensaio clínico utilizou a cápsula endoscópica para revelar os danos GI. É uma das primeiras vezes que esta tecnologia avançada é utilizada em um ensaio de intervenção probiótica.

Efeitos colaterais GI comuns
Os analgésicos domésticos são chamados de AINEs (anti-inflamatórios não esteroides), e são alguns dos medicamentos mais amplamente utilizados no mundo2. Nos EUA, mais de 50 milhões de pessoas adultas fazem uso regular de tais medicamentos3. O uso crônico, em baixa dosagem, de AAS AINE é recomendado por suas propriedades de proteção cardiovascular4 e hoje é prescrito a 80% dos pacientes com um perfil de risco cardiovascular elevado, nos EUA5.

Mas o uso regular de AINEs pode ter efeitos colaterais. O AAS surgiu como uma das causas mais importantes de hemorragias causadas por úlceras nos países desenvolvidos durante as duas últimas décadas6, sublinhando uma necessidade evidente e negligenciada de proteger o trato gastrointestinal contra danos causados por terapias crônicas ou de longa duração com AINEs.

Ciência pioneira
O ensaio clínico é um marco importante no programa de inovação probiótica da Chr. Hansen. Um dos focos do programa de inovação é demonstrar o potencial de cepas probióticas na proteção contra danos intestinais e desenvolvê-las em produtos exclusivos.

"Com esses dados clínicos, estamos abrindo caminho para um campo novo. Como parte da estratégia no. 1 da Natureza, nós nos esforçamos para liberar o potencial dos probióticos como uma solução segura e eficaz em novas áreas de saúde. Para isso, nos concentramos na seleção cuidadosa das cepas, em desenhos de ensaios clínicos de alta qualidade e em execução profissional", explica van Hylckama Vlieg.

"Com esta cepa específica, alcançamos um marco fundamental. Agora continuaremos a investir neste conceito para investigar melhor o potencial da cepa. Nosso objetivo é disponibilizá-la para os muitos milhões que precisam ingerir AAS regularmente para manter a saúde a longo prazo", conclui van Hylckama Vlieg.

------

  1. Randomized placebo controlled double blind clinical trial
  2. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/B9780323089357000089
  3. https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/206954
  4. U.S. Prevention Services Task Force Aspirin for the primary prevention of cardiovascular events: Recommendations and rationale. Ann Intern Med, 136 (2002), pp. 157-160
  5. Aspirin Dose for the Prevention of Cardiovascular Disease, de Charles L. Campbell, publicado em 2007 American Medical Association
  6. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3970722/

A Chr. Hansen é uma empresa global de biociência, que desenvolve soluções com ingredientes naturais para as indústrias alimentícia, nutricional, farmacêutica e agrícola. Os produtos incluem culturas, enzimas, probióticos e corantes naturais, e todas as soluções baseiam-se em sólidas competências em pesquisa e desenvolvimento, além de significativos investimentos em tecnologia. A receita para o ano fiscal 2015/16 foi de 949 milhões de euros. A empresa tem mais de 2.800 funcionários em 30 países, e centros principais de produção na Dinamarca, França, EUA e Alemanha. A Chr. Hansen foi fundada em 1874 e está listada na Nasdaq Copenhague.

O que você procura?

Compartilhe esta página

Selecione o seu idioma de preferência