Lactobacillus acidophilus, LA-5® 

Uma cepa estudada cientificamente para a saúde gastrointestinal 

A cepa probiótica Lactobacillus acidophilus, LA-5®  (a partir de agora somente será usada a marca registrada LA-5®) é originária da coleção de culturas lácteas da Chr. Hansen. A cepa tem sido usada em alimentos e suplementos alimentícios desde 1979. LA-5® é um probiótico muito pesquisado e foi descrito em mais de 150 publicações científicas. Mais de 60 dessas publicações se baseiam em dados de estudos em humanos, realizados em várias áreas da saúde. LA-5® tem sido associada a benefícios para a saúde em estudos randomizados, duplos-cegos e controlados em humanos.
 

Em estudos, a cepa probiótica LA-5® foi associada a benefícios para a saúde digestiva e gastrointestinal 


Até o momento, a cepa probiótica LA-5® foi estudada principalmente em adultos e idosos. Esses estudos de pesquisa investigaram principalmente a cepa LA-5® em combinação com a cepa probiótica Bifidobacterium BB-12® . Nesses estudos, a cepa BB-12® foi associada a: 

  • Evacuações mais regulares2, 3 
  • Episódios mais curtos de fezes moles ocasionais, que podem ocorrer como resultado de algumas intervenções de saúde4-8 
  • Ajuda no equilíbrio das bactérias intestinais.7, 9 

Deseja saber mais sobre a cepa LA-5®? Saiba mais, visitando The Probiotics Institute™

 

A cepa LA-5®, da Chr. Hansen, é segura e de alta qualidade 

A Chr. Hansen tem um processo de fabricação exclusivo com total controle de todas as etapas durante a produção de nossas cepas probióticas. O resultado são cepas probióticas que não são apenas seguras, mas também têm uma qualidade superior.  

Na Europa, Lactobacillus acidophilus recebeu o estatuto QPS (do inglês “Qualified Presumption of Safety” – suposição qualificada de segurança) da EFSA (do inglês “European Food Safety Authority” – autoridade europeia para a segurança alimentar) – um estatuto oferecido em nível de espécie.1.  

 

LA-5®  e BB-12® são  marcas registradas da Chr. Hansen A/S. 
 

Referências  

1 EFSA Panel on Biological Hazards (BIOHAZ). EFSA Journal. 2015;13:4331.
2 Shioya M, et al. Journal of Nutritional Food. 2000:33-4. 
3 Shioya M, et al. Journal of Nutritional Food. 2000:18.
4 Chatterjee S, et al. J Assoc Physicians India. 2013;61(10):708-12. 
5 de Vrese M, et al. J Dairy Res. 2011;78(4):396-403.  
6 Sheu BS, et al. Am J Clin Nutr. 2006;83(4):864-9.  
7 Sheu BS, et al. Aliment Pharmacol Ther. 2002;16(9):1669-75. 
8 Linn YH, et al. Probiotics Antimicrob Proteins. 2019;11(2):638-47. 
9 Nord CE, et al. Clin Microbiol Infect. 1997;3(1):124-32. 

 
 

Esta comunicação se destina exclusivamente a B2B e a profissionais de saúde. Esta comunicação não se destina a consumidores de bens de consumo finais. Nada nesta página deve ser interpretado como uma alegação aprovada.  

Compartilhe