Conheça a nossa colega Kirsten

Kirsten é uma das principais responsáveis pelo sucesso das inovações da Chr. Hansen no setor de culturas de queijo. Desde os primeiros anos como estudante de doutorado à função atual de gerente de aplicação global, Kirsten é impelida pelo conhecimento profissional e pela busca de novos conhecimentos e inovações.

Como se desenvolveu a sua carreira na Chr. Hansen?

O doutorado como um trampolim
Depois de terminar o mestrado em Ciência e Tecnologia de Laticínios na KU FOOD em 2008, eu tive a oportunidade de escrever uma tese de doutorado em colaboração com a Chr. Hansen. Passei três anos pesquisando como usar as bactérias do ácido lático e os coagulantes da Chr. Hansen para reduzir o impacto negativo no desenvolvimento do sabor e da textura partindo da redução da quantidade de sal adicionado ao queijo cheddar.

A pesquisa me deu oportunidade de brincar com os principais ingredientes em contextos novos e interessantes. Isso proporcionou uma base científica e técnica sólida e foi o trampolim para a minha primeira função na Chr. Hansen, como cientista de desenvolvimento de culturas, combinando as nossas bactérias de cepa única em novas culturas, normalmente destinadas a uma aplicação bem definida de queijo ou laticínio fresco. Uma colaboração estreita com nossos clientes-alvo foi decisiva para garantir que nós desenvolvemos os produtos inovadores e de alta qualidade que eles esperam.

Uma perspectiva comercial
Depois de alguns anos, eu me interessei em aprender sobre a perspectiva comercial do negócio. Graças à minha função como gerente de marketing global e responsável comercial pelos nossos portfólios das culturas para cheddar e grana, eu adquiri muita experiência em algumas funções empresariais centrais, além de aprender como elas se conectam à cadeia de valor da Chr. Hansen e finalmente se traduzem em valor para os clientes. Nesta função de "facilitadora de negócios", eu aproveitei a oportunidade de me conectar interna e externamente.

De volta à ciência
Depois de quatro anos na estrada, eu senti a necessidade de voltar para a aplicação técnica de nossos ingredientes principais para laticínios. Na minha função atual de gerente de aplicação global, minha área principal de responsabilidade é testar e validar novas culturas para o segmento de queijo cheddar. Eu continuo a aproveitar a colaboração próxima com os nossos clientes e a ficar em uma posição que fortalece a ciência por trás das nossas soluções.

Em toda a minha carreira, eu tive muita sorte por abrir portas e explorar novos territórios, e sempre apreciei a mobilidade dentro da Chr. Hansen.

O que a atraiu para a Chr. Hansen depois da faculdade?

Na época, o ex-cientista-chefe da Chr. Hansen, Karsten Bruun Qvist, era um dos meus modelos como profissional, e ele foi a minha porta de entrada na empresa. Eu também tinha uma imagem positiva da Chr. Hansen com seu sólido histórico de pioneirismo em biociência e ancoragem firme na indústria de laticínios.

No mundo fugaz de hoje, trabalhar para uma empresa com raízes profundas, na qual o espírito pioneiro transcende a história, tem um outro sentido.

O que a fez ficar na Chr. Hansen depois do doutorado?

A oportunidade contínua de aprender, o fato de que nós somos bons no que fazemos e o fato de a Chr. Hansen ser uma empresa responsável. Além disso, considero de grande importância a confiança na habilidade e criatividade do indivíduo. Também valorizo a flexibilidade que a Chr. Hansen oferece para atender às necessidades pessoais durante diferentes fases da vida. 

Durante esse tempo na Chr. Hansen, do que você mais se orgulha de ter conquistado?

Eu me orgulho de algumas conquistas muito diferentes ao longo dos anos. De um desenvolvimento de método e produto bem-sucedido em colaboração com clientes tecnicamente desafiadores a iniciativas estratégicas bem elaboradas, além de publicações científicas e patentes. Se eu tivesse que mencionar um denominador comum na minha carreira na Chr. Hansen, seria a minha contribuição para a nossa missão a longo prazo de converter clientes de culturas inicializadoras industriais para as culturas da Chr. Hansen. Sempre que somos bem-sucedidos, é como se tivéssemos completado uma maratona!

Qual a parte do seu trabalho que traz mais alegrias?

Ao longo dos anos, criei muitas relações gratificantes com colegas e clientes, que animam o trabalho árduo diário e me motivam a seguir em frente.

Como você é uma especialista em queijos, eu tenho que perguntar: você tem um queijo favorito?

Hoje o queijo é, sem dúvida, um produto alimentício padronizado, mas também é muito mais do que isso! Queijos são alimentos culturais que combinam com praticamente qualquer refeição, sendo assim, eu teria um queijo favorito para o café da manhã, para a salada, o sanduíche, para comer com a macarronada, o churrasco e beber com vinho tinto.

Compartilhe