Técnicas de laboratório que seguem o caminho da liderança

Durante suas carreiras na Chr. Hansen, Tina Holde, diretora de Desenvolvimento de Processos, e Mette Honoré, gerente de departamento, escolheram o caminho da liderança – um caminho no qual uma das tarefas fundamentais é orientar e liderar suas equipes de modo que os funcionários liberem todo o seu potencial. Saiba como foi a transição de técnicas de laboratório para líderes e conheça os programas de liderança oferecidos pela Chr. Hansen.

From the left: Mette Honoré and Tina Holde.

Trabalhar com pessoas é algo que Mette e Tina sempre gostaram de fazer. Antes de entrar na Chr. Hansen, Mette participou de vários programas para estudantes e de testes. Tina sempre considerou importante a vontade de chegar ao trabalho e o fato de estar satisfeita ao sair, e percebeu que, ao se tornar uma líder, poderia ajudar outras pessoas a se sentirem assim. Finalmente, seguir um caminho de liderança tornou-se um passo subsequente natural em suas carreiras. 

Usando a formação em sua liderança

Sua função principal como líder é orientar os funcionários. Com formação de técnicas de laboratório, Mette e Tina experimentaram em primeira mão algumas das tarefas e projetos nos quais seus funcionários trabalham, o que lhes proporciona um conhecimento valioso. “Acredito que minha formação como técnica de laboratório me dá uma visão melhor do dia a dia dos técnicos e cientistas e dos desafios diários, e eu uso isso na minha liderança”, afirma Mette. Tina explica que sua formação a faz ciente dos limites e possibilidades dos funcionários, permitindo otimizar sua liderança. “O mais importante ao gerenciar e liderar uma equipe é fazer exatamente isso: ser uma líder. Não é meu trabalho levar crédito pelo que meus funcionários estão descobrindo ou desenvolvendo, mas é meu trabalho liderar o caminho para que eles possam brilhar”, observa. 

Programas de desenvolvimento de liderança

Todos os novos líderes na Chr. Hansen participam de um curso de treinamento e desenvolvimento chamado CONNECT-U. O objetivo do curso é dar aos novos líderes uma compreensão completa de si mesmos tanto no nível profissional quanto pessoal para que possam perceber seus pontos fortes e fracos. O programa reflete a sólida crença da Chr. Hansen em fortalecer as habilidades dos funcionários, a partir de uma abordagem individualizada para o desenvolvimento pessoal – aprimorando as qualidades únicas das pessoas em vez de uma abordagem comum a todos. 

Para Mette, uma ferramenta específica do treinamento CONNECT-U se destaca do restante. “O exercício de autorreflexão chamado ‘O iceberg’ busca explorar o que está acima e abaixo da superfície do indivíduo. Isso me permitiu explorar e compreender meus valores, crenças e motivações e como eles influenciam minha maneira de agir e me expressar. Refletir sobre isso me deu uma compreensão melhor a meu respeito, tanto como líder quanto na minha vida pessoal.” Tina participou de um dos primeiros programas CONNECT-U e desde então tem treinado outros líderes no programa. “Acho que o programa é um ótimo investimento para uma boa liderança, e gosto de poder transmitir meus próprios aprendizados para os outros”, diz Tina. 

Uma língua de liderança comum

Os treinamentos CONNECT-U ocorrem nas instalações da Chr. Hansen em todo o mundo, oferecendo aos líderes uma ferramenta de referência comum, não importa onde eles estejam. Por ser uma empresa global, os líderes da Chr. Hansen constantemente trabalham entre fronteiras e continentes, de modo que um programa simplificado de treinamento e desenvolvimento dá espaço para os indivíduos, mas proporciona uma língua comum a toda a organização.  


De funcionária a líder

Dar o salto de colega de trabalho para líder de quem a rodeia pode ser difícil. É um grande desafio para o novo líder e para os funcionários. “Passar de colega de trabalho para líder não só é um desafio para a própria pessoa, mas também tem um imenso efeito nas pessoas ao seu redor, que têm que se adaptar a uma nova realidade. Isso demanda tempo, esforço e paciência. Acredito que você, como novo líder, tem que dar espaço aos seus funcionários nessas situações ao mesmo tempo que define a direção, enfatiza e reconhece que leva tempo para se acostumar às novas rotinas”, diz Mette. 

Uma sólida rede de líderes

Devido às possíveis dificuldades durante a transição de colega a líder, existem programas de treinamento e desenvolvimento, como CONNECT-U, para garantir que os novos líderes na Chr. Hansen recebam a melhor ajuda possível. Para Tina, o grande apoio de seus colegas líderes na Chr. Hansen ajudou na transição. “Eles me deram dicas e conselhos muito úteis, e eu pude usar a experiência deles da minha maneira para me desenvolver como líder, mantendo a minha individualidade.”

 “O que o trouxe aqui não o levará até lá.”

Ser um líder é uma tarefa dinâmica que muda com os novos projetos, funcionários e aprendizados. Como na maioria das coisas em uma empresa inovadora, as pessoas acumulam conhecimento e descobrem novas maneiras de fazer as coisas. O mesmo vale para os líderes. “A liderança muda o tempo todo e nada pode ou deve ficar parado. Você sempre tem que se lembrar de que precisa evoluir como pessoa e como líder, ou como eu gosto de dizer: ‘O que o trouxe aqui não o levará até lá’.”

Os programas de liderança da Chr. Hansen são continuamente atualizados para satisfazer todas as necessidades dos nossos líderes. O objetivo é continuar a ter uma base sólida para treinamento e desenvolvimento de líderes e garantir que eles tenham as ferramentas para orientar os funcionários, garantir um ambiente de trabalho agradável e impulsionar a inovação – como Mette e Tina fazem todos os dias.  

Compartilhe