Entrevista com a doutoranda Silvia Lopez

Ao fazer a seleção e aplicação das muitas cepas bacterianas da Chr. Hansen, Silvia quer encontrar um candidato que possa ajudar no funcionamento saudável do fígado. Leia sobre a motivação de Silvia para este projeto e por que ela decidiu trabalhar com a Chr. Hansen no doutorado.

Sobre Silvia Lopez

Idade: 28

Formação:
Bacharel em Nutrição e Dietética
Mestre em Nutrição e Saúde. Especialização em Saúde e Digestão Alimentar 
Segundo ano de doutorado em Microbiologia.

Universidades: 
Escola de Dietética e Nutrição, México
Universidade de Wageningen, Holanda
Universidade de Jena, Alemanha

 

Por que você escolheu trabalhar com a Chr. Hansen no seu doutorado?

Sempre foi meu objetivo e meu sonho desenvolver um produto que pudesse ajudar as pessoas a melhorar sua saúde. Encontrar o lugar certo para me dedicar a minhas ideias, perspectivas e objetivos foi um desafio. No entanto, a Chr. Hansen acabou sendo uma combinação perfeita, já que a empresa é pioneira e líder em ingredientes alimentícios e sustentabilidade, com uma clara ambição e visão voltada para a pesquisa em saúde humana.

 

Quando você começou a trabalhar na Chr. Hansen?

Comecei em novembro de 2019. Eu faço parte do projeto BestTreat, que integra um consórcio europeu denominado “Marie Skłodowska-Curie Innovative Training Network”. Eu trabalho na Chr. Hansen Hørsholm, onde realizo todos os meus experimentos e pesquisa, e curso o Doutorado na Universidade de Jena, na Alemanha. Parte do meu programa também inclui uma permanência para pesquisa no Amsterdam Medical Center.

 

Sobre o que é seu projeto de pesquisa e por que você o considera interessante?

Meu projeto é sobre fazer a seleção das muitas cepas da Chr. Hansen e a aplicação de diferentes tecnologias moleculares para identificar um candidato que possa ajudar no funcionamento saudável do fígado. É uma grande oportunidade de ter experiência prática e avançar na pesquisa ao mesmo tempo que preenchemos a lacuna entre a indústria e a academia.

 

Qual é a sua experiência com o trabalho em equipe e o treinamento com seus colegas?

O trabalho em equipe no departamento de Pesquisa em Saúde Humana é incrivelmente fascinante. Eu me senti acolhida e apoiada pelos meus colegas, em todos os sentidos, desde o meu primeiro dia. Todos têm formações e experiências diferentes, por isso sempre há algo novo para aprender com eles, e eles estão mais do que dispostos a ajudar, orientar e compartilhar conhecimento. Também admiro a ética de trabalho: meus colegas são realmente engajados e dedicados. É um ambiente inspirador para trabalhar.

 

Qual é a melhor coisa sobre fazer um doutorado com a Hansen?/O que você considera especial no trabalho com a Chr. Hansen?

Até agora, escrever uma tese de doutorado aqui tem sido uma experiência cheia de desafios divertidos e positivos. Eu também gosto e me beneficio muito de receber ótimos feedbacks de especialistas para melhorar as minhas habilidades e impulsionar minha carreira como cientista.

É minha primeira experiência trabalhando na indústria, mas uma coisa que me surpreendeu foi o cuidado da empresa em relação aos funcionários, em particular, durante esta situação caótica com a COVID-19. E também há a questão da abertura e transparência, e do modo como a empresa envolve e nos inclui a todos, independentemente de nossa função e título na Chr. Hansen.

 

Compartilhe